Teologue .
Leia, questione, comente, participe!

Precisamos ter fé...


1. Antes de mais nada, o que é a fé?
Segundo o dicionário Aurélio, a fé pode ser entendida como confiança absoluta àquilo que se considera verdadeiro; um sentimento de quem crê em determinados ideais ou princípios, normalmente, religiosos; estado ou atitude de quem acredita ou tem esperança em algo.
No contexto secular, a fé pode existir nas seguinte situações:
  1. Fé em si mesmo: a fé está intimamente ligada à confiança, implicando em tomar uma atitude em meio a incerteza. Diante de problemas (emocionais, físicos, financeiros, etc.), ter fé significa ter esperança de algo vai mudar de forma positiva e que a adversidade será superada.
  2. Fé nas pessoas: trata-se da confiança que depositamos em uma pessoa ou um grupo, acreditando na sua fidelidade quanto ao cumprimento ou realização de algo que havia sido combinado ou esperado.
Podemos entender que a fé no meio secular é totalmente dependente das pessoas, que são falíveis, e nem sempre atendem às expectativas, causando decepção e, com o tempo, descrença..

2. A fé no meio cristão
No contexto religioso, a fé é uma virtude daqueles que aceitam como verdade absoluta os princípios difundidos por sua crença. Para o cristão, por exemplo, ter fé em Deus é acreditar na sua existência e no seu poder.
A fé em Deus, e nos seus planos, é o motor das Escrituras Sagradas. O capítulo 11 do Livro de Hebreus exemplifica a importância da fé para a vida cristã, afirmando que, por meio dela, as pessoas viveram grandes experiências, acreditando na ação divina mesmo em meio as dificuldades.
De Abel aos apóstolos, as Escrituras estão repletas de exemplos de fiéis alcançando promessas e feitos miraculosos. Pessoas que, mesmo diante da morte, estavam regozijantes, confiando em um Deus que transcenderia o estado de morte para um estado de vida eterna - promessa que não poderia ser vista ou experimentada em vida, mas acreditavam que após a morte a teriam.
A lição que tiramos com a história desses grandes personagens bíblicos é de que todos nós estamos sujeitos a enfrentar enfermidades, doenças, enfraquecimento e até mesmo a morte. A forma como reagimos diante dessas situações revelará nosso caráter e será exemplo para as pessoas sobre aquilo que acreditamos.  

3. Fé em momentos difíceis
O cenário não é nada animador: Veja o mundo. Veja em que situação chegamos. E por incrível que pareça... Pode e vai piorar!
As nações guerreiam, mesmo que seja sem a utilização de armamento, em busca de poder e status. Enquanto isso, a maioria das pessoas brigam pelas migalhas que restam e morrem de fome, doenças ou causas muitas vezes desconhecidas -  sem ter a chance de lutar pela própria vida!
Mesmo com todo o suporte da tecnologia para facilitar a comunicação, as famílias da nossa sociedade não têm comunhão dentro dos lares. Falta um “tempo de qualidade juntos”, diálogo, uma real fraternidade entre os membros, que por sua vez dão lugar  à magoa, discórdia, desrespeito, afastamento,  agressão e até mesmo à morte.
Diante dessas adversidades,  o que as podemos esperar da fé? Alguns líderes religiosos têm usado a fé para ludibriar a mente dos fiéis, conduzindo-os conforme seu propósito, não para realmente ajudar. Por outro lado, muitos fiéis, talvez por reflexo dos seus líderes ou simplesmente por falta de interesse, preferem “ouvir e obedecer” ao invés de examinar e questionar. Independente do motivo o resultado é sempre o mesmo: pessoas acabam se frustando em uma busca desenfreada na religião a solução para os seus problemas, atendendo as necessidades que possuem, massagear o próprio ego.
Assim contemplamos os países silenciosamente guerrearem pela manipulação das nações mais pobres. Famílias cada vez mais desunidas... Destruídas... Vazias. Pessoas manipuladas pelas religiões que ao invés de libertar, aprisiona e as torna individualistas, egocêntricas, avarentas e antipáticas. Esse é o cenário que nos faz pensar e consequentemente optar pelo mal.... Ao mal para reclamar,  para lamentar, ao mal para desistir.

4. Podemos viver pela fé
A fé é acreditar no que não se vê, mas se espera. Ou seja, mesmo que todas as evidências digam o contrário,  esse sentimento gera a certeza de que existe um futuro glorioso para quem permanece em Deus.
A fé nos impulsiona a agir, pois, conforme o texto de Tiago 2:17 “a fé, se não tiver as ações, é morta em si mesma”.  Ou seja, ela simplesmente não existe! Se nós dissermos que cremos no sacrifício de Cristo e não agirmos como um cristão, nós simplesmente acreditamos que Cristo veio à Terra, viveu, morreu como um homem comum, mas jamais O teremos como o Salvador de nossas vidas.
Todas as adversidades que vivemos hoje já tinham sido “avisadas” por Jesus quando esteve entre nós (Mateus 24:4-14) e é nosso papel passar por isso perseverando em Cristo e seus ensinamentos. A acreditando na promessa que João escreveu em Apocalipse 21, que um dia todo pranto, dor, pecado e morte passarão e aqueles que perseverarem pela fé serão salvos. Essa é a nossa esperança!
Para viver essa esperança é preciso acreditar que fomos escolhidos para fazer a diferença com nossas atitudes, palavras e pensamentos. Crer que podemos ser úteis ao Reino de Deus desde agora, ajudando, ensinando, amando, simplesmente sendo Cristãos. Mesmo com as adversidades que vivemos ainda assim eu te convido a crer que algo diferente pode acontecer, fora da lógica humana, que possa mudar a história mais uma vez.
Basta ter fé!

Fontes Bibliográficas
FOWLER, James. Estágios da Fé; a Psicologia do Desenvolvimento Humano e a Busca de Sentido. São Leopoldo, Sinodal, 1992.
SAGRADA, Biblia. Nova Versão Internacional.
SIGNIFICADO DE FÉ. Portal Dicionário Aurélio (visitado em 04/03/16) em http://dicionariodoaurelio.com/fe
SIGNIFICADO DE FÉ. Portal Significados.com (visitado em 04/03/16) em http://www.significados.com.br/fe/
João Paulo de Almeida Silva João Paulo de Almeida Silva Author Bacharel em Teologia (formado no ano de 2015 na Faculdade Teológica Batista de São Paulo). Membro da Igreja Evangélica Batista em Perdizes desde 2014.

2 comentários :

  1. João,

    Muito interessantes e bem escritos estas narrativas sobre a fé. Sem dúvida a fé é o maior mistério e graça das religiões. No entanto, caso pensem que o sentido da fé, como um propósito meramente religioso, lembrei de um caso interessante da própria psicologia que mostram a fé em outros planos de crença. Viktor Frankl, um psiquiatra vienense, que após sobreviver às atrocidades dos nazistas nos campos de concentração, idealizou o sistema de 'Logoterapia' (Logos. grego = sentido), e que trata o sentido na vida como uma das principais forças no ser humano e, assim como a fé, reduz o homem ao seu próprio ser, transcendendo a si mesmo e portanto não cabendo provas teóricas, a não ser a própria experiência de cada um.
    Outro ponto interessante, de que me lembro sobre o tema, trata-se sobre a 'psico-imuno-neurologia', na qual apresentou em um de seus experimentos o seguinte: 1) Dois grupos de estudantes foram colocados em salas diferentes para verem filmes diferentes; 2) Para o Grupo A colocaram uma filme sobre as obras e caridade de Madre Tereza de Calcutá e para um Grupo B, um filme sobre as atrocidades do holocausto; 3) Após o filme, exames de sangue foram feitos com os dois grupos e o Grupo A apresentou um sistema imunológico melhor que o do Grupo B ... ou seja, as próprias imagens e reflexões do homem com o divino, independentemente de religião, de alguma forma, transcendem ao próprio homem e a matéria, sentido que faz também ao nos lembrarmos dos milagres, expressão máxima da fé...

    Grande Abraço, Parabéns pelo trabalho... Carlos Marquez

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos,

      Muito obrigado por enriquecer esse espaço. Considero de grande importância a opinião dos leitores, pois esse é o "norte" que terei na condução desse sonho.

      Aproveito para te convidar a sempre participar e comentar. Teologue conosco!

      A fé parte do pressuposto de uma pessoa acreditar em algo ou alguém (divino ou não) durante situações da nossa vida. E que muitas pessoas ao longo da nossa história viveram histórias de superação mediante acreditarem em si mesmas e/ou também em Deus.
      No exemplo apresentado dos filmes, fica claro: o que expõe algo entendido como positivo "motivou" as pessoas, a ponto disso ser percebido nos exames realizados, ao contrário do outro grupo. Psicologia pura.

      Eu acredito que a fé pode ser definida como superação, e no meu caso, acredito na ajuda divina para realização desse feito. Não que possamos (e devemos) acreditar nos outros e em si mesmos, mas digamos que a parte que me completa nessa área Deus me concede dia a dia, para acreditar em um futuro melhor.

      Forte abraço e mais uma vez muito obrigado!!!

      Excluir

Inscreva-se

Seguidores